Bem vindos

Bem vindos ao blog da catequese infantil da Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Manilha

 Jesus e as Crianças

“Trouxeram-lhe então alguns meninos, para que sobre eles pusesse as mãos, e orasse; mas os discípulos os repreendiam.
Jesus, porém, vendo isto, indignou-se, e disse-lhes: Deixai vir os meninos a mim, e não os impeçais; porque dos tais é o reino de Deus.
Em verdade vos digo que qualquer que não receber o reino de Deus como menino, de maneira nenhuma entrará nele.
E tomando-os nos nos seus braços, e impondo-lhes as mãos, os abençoou.”

Missa da catequese

Neste sábado dia 25 de agosto tivemos na Paróquia a Missa da catequese em comemoração do Dia do Catequista


As crianças fizeram toda a liturgia da Missa.


Nossas catequistas fizeram uma linda homenagem a Maria a maior de todas as catequistas.

Na homila as crianças apresentaram um teatrinho de fantoches

Após a Missa tivemos uma confraternização.

Dia abençoado.

Ser catequista é ser mãe

Mãe dos pequenos que chegam até nós trazidos pelas mães ou por alguém da família

Ser catequista é lapidar cada catequizando, esse tesouro que Jesus coloca em nossas mãos, sejam eles crianças, jovens ou adultos.

Ser catequista é partilhar de seus problemas, é ouvir e tirar as suas duvidas; é viver com eles as suas alegrias e suas tristezas.

Senhor mas ser catequista mesmo, é viver essa vocação dada por vós.

É viver no seu amor e colocar diante de vós a nossa vida, nossa fragilidade e preocupações.

Senhor, tira de nós tudo o que não é bom.

Aceita Senhor nossas alegrias e realizações.

Aceita o nosso trabalho de amor e doação.

Que Maria Santíssima como catequista de Jesus nos cubra com o seu divino manto e nos conduza sempre para o seu filho Jesus que é o caminho, a luz na nossa vida e na nossa vocação. Amém.

Corpus Christi

Origem da celebração

A celebração teve origem em 1243, em Liège, na Bélgica, no século XIII, quando a freira Juliana de Cornion teria tido visões de Cristo demonstrando-lhe desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque.

Em 1264, o Papa Urbano IV através da Bula Papal “Trasnsiturus de hoc mundo”, estendeu a festa para toda a Igreja, pedindo a São Tomás de Aquino que preparasse as leituras e textos litúrgicos que, até hoje, são usados durante a celebração. Compôs o hino “Lauda Sion Salvatorem” (Louva, ó Sião, o Salvador), ainda hoje usado e cantado nas liturgias do dia pelos mais de 400 mil sacerdotes nos cinco continentes.

A procissão com a Hóstia consagrada conduzida em um ostensório é datada de 1274. Foi na época barroca, contudo, que ela se tornou um grande cortejo de ação de graças.

No Brasil

No Brasil, a festa passou a integrar o calendário religioso de Brasília, em 1961, quando uma pequena procissão saiu da Igreja de madeira de Santo Antônio e seguiu até a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima. A tradição de enfeitar as ruas surgiu em Ouro Preto, cidade histórica do interior de Minas Gerais.

A celebração de Corpus Christi consta de uma missa, procissão e adoração ao Santíssimo Sacramento.

A procissão lembra a caminhada do povo de Deus, que é peregrino, em busca da Terra Prometida. No Antigo Testamento esse povo foi alimentado com maná, no deserto. Hoje, ele é alimentado com o próprio Corpo de Cristo.

Durante a Missa o celebrante consagra duas hóstias: uma é consumida e a outra, apresentada aos fiéis para adoração. Essa hóstia permanece no meio da comunidade, como sinal da presença de Cristo vivo no coração de sua Igreja.

Texto: Canção Nova

 

Beata Alexandrina Maria da Costa

 

Beata Alexandrina Maria da Costa Alexandrina Maria nasceu em Balasar (Portugal) no dia 30 de março de 1904, aos 14 anos não hesitou em jogar-se pela janela para fugir de três homens que ameaçavam a sua pureza. As consequências foram terríveis, mas não imediatas; depois de alguns anos, ela foi obrigada a ficar em cama por causa de uma paralisia que foi agravando-se durante os trinta anos que lhe restou de vida. Ela não se desesperou e abandonou-se nas mãos de Jesus com essas palavras: “Jesus, Tu és prisioneiro no tabernáculo como eu sou na minha cama, assim fazemos companhia um ao outro”.

Em seguida começou a ter experiências místicas cada vez mais fortes que começavam numa sexta-feira, 3 de outubro de 1938 e terminavam no dia 24 de março de 1942. Experimentou 182 vezes, todas as sextas-feiras, os sofrimentos da Paixão e desde 1942 até o dia da sua morte, Alexandrina alimentou-se unicamente da Eucaristia por mais de treze anos.

Depois dos dez longos anos de paralisia que ela havia oferecido para a reparação Eucarística e para a conversão dos pecadores, no dia 30 de julho de 1935 Jesus apareceu-lhe e lhe disse: “Eu te coloquei no mundo para que vivas somente de Mim, para testemunhar ao mundo o valor da Eucaristia (…) A cadeia mais forte que acorrenta as almas a Satanás é a carne, é a impureza. Nunca se viu antes uma expansão de vícios, de maldades e crimes como hoje! Nunca se pecou tanto (…) A Eucaristia, o meu Corpo e o Meu Sangue! A Eucaristia: eis a salvação do mundo”.

Também a Virgem Maria apareceu-lhe no dia 2 de setembro de 1949 com um terço na mão, dizendo: “O mundo agoniza e morre no pecado. Quero oração, quero penitência. Protege com o meu terço aos que amas e a todo o mundo”. No dia 13 de outubro de 1955, aniversário da última aparição de Nossa Senhora de Fátima, Alexandrina exclamou: “Sou feliz porque vou ao Céu”. Às 19:30 h desse mesmo dia expirou.

Conhecida como a “Santinha de Balasar”, Alexandrina foi beatificada pelo Papa João Paulo II, a 25 de Abril de 2004. A cura milagrosa de uma devota emigrada na França serviu para concluir o seu processo de Beatificação. Balasar, atualmente, é o segundo local de maior peregrinação em Portugal (o primeiro local é Fátima).

Beata Alexandrina Maria da Costa, rogai por nós!

(Fonte) -> vejam o vídeo!

http://semeandocatequese.blogspot.com.br/

 

VIII Exposição Mariana

Neste dia 26 de maio aconteceu a nossa exposição mariana da catequese.

O tema foi o Juileu de Prata da nossa Paróquia.

As crianças e catequistas pesquisaram sobre a história da paróquia e suas capelas.

Ficou muito linda nossa exposição!

Coroação de Nossa Senhora 2012

Ficou linda a coroação de Nossa Senhora!

Olha só que anjinhas lindas!!!!

 

 

 

Fantoches de caixas de leite

Olha os fantoches que fiz de caixa de leite para as Missas da catequese!

Ficaram lindos!

13 de maio dia de Nossa Senhora de Fátima

Hoje nossa Paróquia está em festa.

13 de maio é dia da nossa Padroeira Nossa Senhora de Fátima.

 

Lúcia, Francisco e Jacinta estavam brincando num lugar chamado Cova da Iria. De repente, observaram dois clarões como de relâmpagos, e em seguida viram, sobre a copa de uma pequena árvore chamada azinheira, uma Senhora de beleza incomparável.

Era uma Senhora vestida de branco, mais brilhante que o sol, irradiando luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente.

Sua face, indescritivelmente bela, não era nem alegre e nem triste, mas séria, com ar de suave censura. As mãos juntas, como a rezar, apoiadas no peito, e voltadas para cima. Da sua mão direita pendia um Rosário. As vestes pareciam feitas somente de luz. A túnica e o manto eram brancos com bordas douradas, que cobria a cabeça da Virgem Maria e lhe descia até os pés.

Lúcia jamais conseguiu descrever perfeitamente os traços dessa fisionomia tão brilhante. Com voz maternal e suave, Nossa Senhora tranqüiliza as três crianças, dizendo:

Nossa Senhora: “Não tenhais medo. Eu não vos farei mal.”

E Lúcia pergunta:

Lúcia: “Donde é Vossemecê?”

Nossa Senhora: “Sou do Céu!”

Lúcia: “E que é que vossemecê me quer?

Nossa Senhora: “Vim para pedir que venhais aqui seis meses seguidos, sempre no dia 13, a esta mesma hora. Depois vos direi quem sou e o que quero. Em seguida, voltarei aqui ainda uma sétima vez.”

Lúcia: “E eu também vou para o Céu?”

Nossa Senhora: “Sim, vais.”

Lúcia: “E a Jacinta?”

Nossa Senhora: “Também”

Lúcia: “E o Francisco?”

Nossa Senhora: “Também. Mas tem que rezar muitos terços”.

Nossa Senhora: “Quereis oferecer-vos a Deus para suportar todos os sofrimentos que Ele quiser mandar-vos, em ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido, e de súplica pela conversão dos pecadores?”

Lúcia: “Sim, queremos”

Nossa Senhora: “Tereis muito que sofrer, mas a graça de Deus será o vosso conforto”.

Ao pronunciar estas últimas palavras, Nossa Senhora abriu as mãos, e delas saía uma intensa luz.

Os pastorinhos sentiram um impulso que os fez cair de joelhos, e rezaram em silêncio a oração que o Anjo havia lhes ensinado:

As três crianças: “Ó Santíssima Trindade, eu Vos adoro. Meu Deus, meu Deus, eu Vos amo no Santíssimo Sacramento.”

Passados uns momentos, Nossa Senhora acrescentou:

Nossa Senhora: “Rezem o Terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo, e o fim da guerra.”

Em seguida, cercada de luz, começou a elevar-se serenamente, até desaparecer.

 

Lembrancinha de dia das mães

Olha a lembrancinha de lixa de unha que fizemos para o dia das mães!

Ficou um mimo!

A flor é em forma de coração.

No coração está a mensagem:

” Bem aventurada a mãe que confia no Senhor,

que se compraz na observância da Lei Divina…

O Cristo ressurge em cada ato seu.”

Encontro de Pais 2012

Sábado dia 21/04/12 foi realizado em nossa Paróquia um encontro com os pais dos catequizandos do 1° ano.

Tivemos a presença do nosso querido Pe Cosme que falou sobre o compromisso dos pais na catequese.

O casal Lela e Marcos da Pastoral da Família conversou sobre como deve ser uma família cristã.

As catequistas Marilene e Izilda explicaram para os pais o que é a catequese, como trabalhamos e sobre a participação das crianças na catequese e na Missa.

Fizemos dinâmicas, partilhas e muito louvor.

Demos início ao projeto Catequese em Família.

Encerramos nosso encontro com um delicioso lanche.

Aqui estão as fotos desse dia abençoado.

Dinâmicas

Oração dos bons propósitos


Objetivo: Mudança no comportamento, refletir a campanha da fraternidade 2012
- Distribuir aos catequizandos, saches de açúcar (ou providenciar um açucareiro com uma colherinha).

- Dispor de um recipiente com água, outro com gelo, suco em pó ou um copo de concentrado.

- Em clima de celebração e oração, lembrar aos catequizandos que podemos fazer um mundo melhor: “remediar”, com bons propósitos, as situações de sofrimento, dor, doença, mal estar. Para isso peçamos a Jesus que nos ajude a modificar nosso comportamento e nossas ações em prol da nossa saúde.

- À medida que cada um for fazendo seu “propósito”, pedir que coloque seu “ingrediente” na jarra que está sobre a mesa. Os propósitos devem se manifestados em voz alta, como orações. Por exemplo:

- “Jesus dê-me forças para controlar a vontade de comer doces, chocolates, refrigerantes em
excesso.”

- “Jesus ajude-me a dominar a preguiça e fazer mais exercícios físicos.”

- “Jesus fortaleça-me para não cair na tentação de colocar em risco minha saúde, colocando-me em situações de risco: drogas, álcool, brincar com fogo, objetos cortantes, etc.”

- Criar mais situações como: expor-se ao frio sem agasalho; não escovar os dentes; ver TV em excesso;
usar em demasia a internet, o telefone celular; jogar demais videogame; dormir muito tarde, etc.

- Depois que todos colocarem na jarra suas “orações”, acrescentar a água, mexer o suco e distribuir um copo para cada um.

 

Segura… Não deixa cair!


Objetivo: Mostrar a importância de ter alguém que segure e dê apoio num momento em que tudo parece que vai desmoronar, cair.

Formar um círculo com os catequizandos: distribuir para cada um uma papeleta em que esteja escrito um dos “males” (doenças), relacionados abaixo. Pedir para não contarem uns aos outros o que está escrito no papel. A papeleta ‘gripe’ deve ser repetida cinco ou mais vezes, dependendo do número de participantes (colocá-la para um terço das pessoas).

- Os participantes engancham os braços uns nos outros, formando uma espécie de corrente, evitando
que alguém caia.

- No meio do círculo fica o “doutor”, a pessoa que vai conduzir a brincadeira. O “médico” lê um dos diagnósticos (sugestões abaixo). A pessoa que estiver com a “doença” correspondente amolece o corpo para cair, como se fosse um desmaio. As duas pessoas que estão ao seu lado, a seguram para não deixá- la cair. Se a pessoa cair, ela morre…

- Depois de ser amparada, a pessoa ‘doente’ volta o corpo ao normal. Assim o médico vai lendo os diagnósticos até chegar a doenças de maior incidência, por exemplo, a gripe ou a dengue. Como há várias pessoas com esta “doença”, muita gente vai “cair” ao mesmo tempo e o círculo vai se desmantelar. Torna-se difícil segurar, portanto é preciso envolver mais pessoas, organizar toda a sociedade. Ao final, estabelecer uma ligação entre o que ocorreu no círculo com o que está acontecendo com a saúde pública.

- Após a execução da dinâmica, deixar que os participantes falem sobre o que sentiram.

- Como se sentiram ao serem taxados de “doentes”? Como viram a doença que cada um recebeu?

- Comentar da importância de ter alguém que segure e dê apoio num momento em que tudo parece que vai desmoronar, cair.

- Como foi estar atento ao outro, cuidar do problema do outro?

- Como é a dificuldade de apoiar, quando há grande o número de doentes? Salientar a importância da prevenção, de não deixar a doença se espalhar, dos cuidados com o corpo e o ambiente.

- Concluir falando da importância da presença, da solidariedade, da compaixão junto àqueles que sofrem.

DOENÇAS:

Gripe, doenças do pulmão, dengue, hipertensão, diabetes, problemas renais, anemia, obesidade, colesterol alto, dependência química (drogas), alergia, dores de ouvido e cabeça, gengivite, cáries e placas nos dentes.

(Podem ser acrescentadas outras doenças com os respectivos diagnósticos).

DIAGNÓSTICOS:

- Exposição ao ar frio (mudanças climáticas) e contato com pessoas doentes, não lavar as mãos. (gripe)

- Poluição do ar contato com fumantes ou fumar. (doenças do pulmão)

- Falta de cuidado com os quintais e os vãos de plantas, deixando água parada. Falta de higiene. (dengue)

- A pessoa não cuida da alimentação, ingere alimentos gordurosos e não saudáveis, não pratica
exercícios físicos. (hipertensão)

- Há pessoas diabéticas em sua família, mas a pessoa nunca fez exames preventivos. Não se alimenta com alimentos saudáveis. Consome doces em excesso. (diabetes)

- A pessoa não toma água várias vezes ao dia. Não cuida da alimentação. Ingere muito sal. (problemas renais)

- Faltam em sua alimentação frutas, verduras e outros alimentos saudáveis. (anemia)

- Consome alimentos muito calóricos, tipo salgadinhos (chips), refrigerante. Não faz exercícios físicos. (obesidade)

- Não se alimenta corretamente, abusa de alimentos gordurosos e de doces. (colesterol alto)

- A pessoa deixou-se levar por falsos amigos e acabou experimentando drogas. (dependência química)

- A pessoa se expõe ao ar poluído. Freqüenta ambientes poluídos, sujos, com muita poeira. Consome alimentos contaminados. Não cuida devidamente da higiene pessoa. (alergia)

- A pessoa ouve música em volume demasiadamente alto, freqüenta ambientes com poluição sonora. (dores de ouvido e de cabeça)

- A pessoa não escova os dentes. Consome doces exageradamente, sem fazer a adequada higiene
bucal. (gengivite, placas bacterianas, cárie)



SITE CATEQUISAR

DINÂMICA DE NATAL II


Objetivo:
Interagir com o grupo e construir o sentido amplo do Natal.

Material:
Frases complementares.

Procedimento:
a) Recortar as frases e dobrá-las;
b) Distribuir em forma de sorteio de acordo com o número de participantes (nesta dinâmica há frases para 44 pessoas);
c) Lê-se as frases em sequência numérica;
d) Cada frase tem sempre uma frase-resposta ou complementar, exemplo:

1. Eu sou o Natal sem árvore
1. Eu sou a árvore do seu Natal

Frases complementares com o sentido amplo do Natal

1. Eu sou o Natal sem árvore

1. Eu sou a árvore do seu Natal

2. Eu sou a árvore de Natal sem estrela

2. Eu sou a estrela da sua árvore de Natal

3. Eu sou o enfeite de Natal sem brilho

3. Eu sou o brilho do seu enfeite de Natal

4. Eu sou o Papai Noel sem trenó

4. Eu sou o trenó do Papai Noel

5.Eu sou a criança sem presente neste Natal

5. Eu sou o presente da criança neste Natal

6. Eu sou a ceia de Natal sem as pessoas queridas

6. Eu sou as pessoas queridas da sua ceia de Natal

7. Eu sou a música sem Noite Feliz

7. Eu sou a Noite Feliz da sua música

8. Eu sou a noite de Natal sem neve

8. Eu sou a neve da sua noite de Natal

9. Eu sou a Coroa do Advento sem velas

9. Eu sou as velas da sua Coroa do Advento

10. Eu sou o mundo sem Deus Pai, Filho e Espírito Santo

10. Eu sou o Deus Pai, Filho e Espírito Santo do seu mundo

11. Eu sou a vela sem luz neste Natal

11. Eu sou a luz da sua vela neste Natal

12. Eu sou o perdão sem alegria neste Natal

12. Eu sou a alegria do seu perdão neste Natal

13. Eu sou coração sem solidariedade neste Natal

13. Eu sou a solidariedade do seu coração neste Natal

14. Eu sou Maria sem o Anjo da Anunciação

14. Eu sou o Anjo da Anunciação a Maria

15. Eu sou os pastores sem a Boa Noticia do Anjo do Senhor

15. Eu sou a Boa Notícia do Senhor aos pastores

16. Eu sou os Reis Magos sem ouro, mirra e incenso

16. Eu sou o ouro, mirra e incenso dos Reis Magos

17. Eu sou a manjedoura sem amor

17. Eu sou o amor da sua manjedoura

18. Eu sou a Belém da Judéia sem a gruta onde nasceu Jesus

18. Eu sou a gruta onde nasceu Jesus em Belém da Judéia

19. Eu sou Maria e José sem o Menino Jesus

19. Eu sou o Menino Jesus de Maria e José

20. Eu sou a promessa do Senhor sem Messias, o Salvador

20. Eu sou o Messias – Salvador, prometido do Senhor

21. Eu sou as famílias desunidas neste Natal

21. Eu sou a união das famílias neste Natal

22. Eu sou o Natal sem justiça

22. Eu sou a justiça de seu Natal


RETIRADO DO JORNAL MUNDO JOVEM

Sugestões de atividades para dinamizar a “Parábola dos Talentos”

1. Contar a parábola de um jeito alegre, carinhoso. Pense em Jesus e imagine como ele contaria essa parábola para eles.

(Lembre-se: quando escuta uma historia, a criança sente os adultos como parte do seu mundo, da sua realidade e percebe que são capazes de sentir, pensar e se emocionar com a trama da historia. È ouvindo historias que se pode descobrir outros lugares, outros tempos, outros maneiras de agir e de ser, seguir outras regras. É duvidar, perguntar, questionar. É formar opinião, é uma maneira de construir o próprio caminho).

2. Explique que os talentos naquela época eram dinheiro, mas para nós são”dons”, (presentes) que só Deus pode nos dar. O que fazer com os presentes que recebemos de Deus? Enterrá-los ou cultiva-los? Abrir para discussão, avaliando se entenderam o sentido da parábola.

3. Distribuir vários círculos como se fossem moedas, e pedir que escrevam neles dons de Deus.

4. Depois, incentive a troca entre eles, oferecendo uns aos outros os talentos que receberam.

5. Encerre com uma oração de agradecimento pelos dons que recebemos de Deus.

AS SETE CHAVES

Com as “sete chaves” você
encontra a Palavra de Deus que
está na Bíblia e na vida e
entenderá melhor o sentido
escondido atrás das palavras.
Dividir a turma em sete grupos. Cada grupo
deve desenhar uma grande chave e um cartaz
com gravuras representando uma das chaves.
Depois que o grupo apresenta o seu cartaz,
coloca sua respectiva chave em um barbante,
formando assim um grande chaveiro. Podese
também cantar uma música que faz
referência à chave do grupo. Ao final, faze-se
o plenário. As chaves são:
Pés bem plantados na realidade.
Para ler bem a Bíblia é preciso ler bem a vida,
conhecer a realidade pessoal, familiar e
comunitária, do país e do mundo. É preciso
conhecer também a realidade na qual viveu o
povo da Bíblia. A Bíblia não caiu do céu
prontinha. Ela nasceu das lutas, das alegrias,
da esperança e da fé de um povo. (ver Ex
3,7-10)
Olhos bem abertos.
Um olho sobre o texto da Bíblia e outro sobre
o texto da vida. O que fala o texto da Bíblia?
O que fala o texto da vida? A Palavra de Deus
está na Bíblia e está na vida. Precisamos ter
olhos para enxergá-la.
Ouvidos atentos.
Um ouvido para escutar o clamor do povo e
outro para escutar o que Deus quer falar.
Coração livre para amar.
Ler a Bíblia com sentimento, com a emoção
que o texto provoca. Só quem ama a Deus e
ao próximo pode entender o que Deus fala na
Bíblia. Coração pronto para converter-se.
Boca para profetizar.
Anunciar e denunciar aquilo que os olhos
viram, os ouvidos ouviram e o coração sentiu
sobre a Palavra de Deus. Como posso me
calar?
Cabeça para pensar.
Usar a inteligência para meditar, estudar e
buscar respostas para nossas dúvidas. Ler a
Bíblia e outros livros que nos expliquem a
Bíblia.
Joelhos dobrados em oração.
Só com muita fé e oração dá para entender a
Bíblia e a vida. Pedir ajuda ao Espírito Santo
para entender o “espírito” da Bíblia. Não
podemos fazer uma leitura ao pé da letra,
porque a letra mata e o espírito vivifica, como
adverte São Paulo (ver 2Cor 3,6).
Certamente descobriremos outras chaves,
mas estas são indispensáveis. É bom unir
as chaves num chaveiro forte e firme. Este
chaveiro é a família, o círculo bíblico, ou sua
comunidade. A Bíblia lida em comunidade
se torna mais fácil, mais proveitosa, mais
agradável (ver Mt 18,20).
As Sete Chaves
Adaptação da dinâmica extraída do
livro “El Poblado e La Bíblia”, J.
Saraiva, Paulinas, México

DINÂMICA- EVANGELHO EM PEDAÇOS

Objetivo: Estimular a procura e análise de passagens da Bíblia.Participantes: 10 a 15 pessoas

Tempo Estimado: 15 minutos

Material: Papéis com pequenos trechos da Bíblia (partes de passagens) com indicação do livro, capítulo e versículos.

Descrição: Cada integrante recebe um trecho da Bíblia e procura compreendê-lo, entender qual a mensagem da passagem Bíblica. Como você pode trazer essa mensagem que você refletiu para o seu dia-a-dia. Para melhorar a compreensão do trecho, deve consultar a passagem completa na Bíblia. Em seguida, os integrantes devem ler o seu trecho e comentá-lo para o grupo. Ao final, é aberto o debato sobre os trechos selecionados e as mensagens por eles transmitidas.

DINÂMICA- A CONQUISTA DO REINO DOS CÉUS

 Levar para o encontro pirulitos na quantidade exata para cada criança e balas um número 5 x maior. Confecionar uma placa dizendo: “Banquinha para Trocas – 4 balas = 1 pirulito , 1 pirulito = 5 balas”
Dar para cada catequizando 3 balas e informar que, para “Conquistarem o Reino dos Céus”, cada um deverá ter 1 pirulito na mão. Deixe que eles raciocinem que deverão juntar as balas e depois trocar por pirulitos, depois os pirulitos por balas e assim até obter o número exato de pirulitos para todos. Conclua que a Conquista do Reino dos Céus é individual (por isso um pirulito para cada um), mas podemos e devemos auxiliarmos uns aos outros na conquista do Reino de Deus.
Após a dinâmica, compartilhe as balas e pirulitos com as crianças, ou confeccione um saquinho com  balas e pirulito para cada uma, com uma mensagem do tema da parábola, tesouros do Reino de Deus. 

Dinâmica: “Em busca do Reino dos Céus”

 Preparação para a Dinâmica:
- uma pérola comprada em bazar (de plástico, para confecção de bijoux), ou qualquer objeto bem
pequeno que possa substituir;
- uma forma diferente de embrulhar esta pérola, para que as crianças tenham dificuldade em
encontrá-la. Exemplos: embrulhá-la numa folha de jornal amassada, colocá-la sob uma folha num
vaso, dentro de uma flor etc;
- colocar a pérola embrulhada em algum lugar do espaço do encontro.

Mensagem
: Meu caminho para o reino dos Céus começa quando o faço existir aqui mesmo na Terra.
A dinâmica consiste em fazer com que as crianças procurem esta “pérola preciosa” que é o Reino dos
Céus, mas que primeiramente reflitam sobre o que fazer para que ele comece a existir aqui na Terra, a
partir de suas atitudes.
O voluntário pergunta:
- Como é o Reino de Deus aqui na Terra?
- O que precisamos fazer, como crianças cristãs, para que ele esteja sempre presente?
- Será que se fizermos coisas boas, já estaremos colaborando para este Reino aqui na Terra?
- Será que isso nos ajudaria para chegar ao Reino dos Céus?
Agora que a crianças estão sabendo sobre o Reino dos céus e o que é preciso para encontrá-lo, o
catequista propõe a busca da “pérola preciosa” iniciando uma caça ao tesouro, para que eles
encontrem no espaço do encontro a pérola. Assim que ela for encontrada, o voluntário reúne todas as
crianças para o encerramento. Se ela não for encontrada dentro de um prazo, o voluntário poderá dar
dicas para facilitar.
Encerramento:
Não foi tão fácil encontrar a pérola, não é? Deus muitas vezes, em nosso dia a dia, nos testa para
saber se estamos atentos aos seus ensinamentos, assim como acabou de acontecer. Ou seja, se
aprendermos coisas boas em nosso encontro mas fazemos coisas ruins em casa ou na escola, o
ensinamento se perdeu.

DINÂMICAS- O JOIO E O TRIGO

Separando grãos:Para ver quão difícil é separar coisas semelhantes, traga um pacote de grãos misturados e peça as crianças para separarem em pilhas de acordo com o tamanho ou o tipo (você pode misturar: lentilha, ervilha, feijão, milho…).

Outra alternativa é trazer um pacote de chá matte (a granel) e perguntar às crianças se veem alguma diferença. Depois, usando peneiras de vários tamanhos, ir peneirando o chá e perceber que há tamanhos diferentes no chá: de pedaços maiores a farelo fininho.



Quebra-cabeça:
 Pegue duas folhas de papel e escreva duas frases diferentes em cada uma; ou imprima um mesmo desenho (colorido diferentemente) . Corte as folhas ao mesmo tempo, como um quebra-cabeça. Misture as peças dos dois desenhos e dê às crianças para que montem. No final as peças devem encaixar sem problemas, mas a imagem ou frase não irá fazer sentido.Sugira às crianças que troquem peças entre os dois jogos para formar a imagem/frase certa.

Você pode usar este jogo para demonstrar a dificuldade dos agricultores ao tentar separar o joio do trigo, afinal eles são muito parecidos quando plantas novas, mas ao crescerem a diferença fica mais visível – assim como as crianças montaram uma imagem similar mas desencontrada e depois conseguiram separar as peças certas.



Paladar:Colocar dois copos de água ,um do lado do outro,sendo que um deles deve ter a água misturada com açucar e o outro com sal. Faça as crianças responderem se vêem alguma diferença entre eles e depois faça com que eles provem da água de cada copo.

DINÂMICA- FALA SÉRIO/ COM CERTEZA


Objetivo: Perguntas referentes a temas como Corpus Christi, Santissima Trindade e outros.
DESENVOLVIMENTO: Cada pergunta é uma afirmação se estiver correta a resposta e Com certeza; se estiver errada a resposta deve ser fala sério.
Fazer as perguntas abaixo e as crianças, jovens ou adultos precisam responder Fala sério ou com certeza. A cada pergunta o catequista deve aproveitar para dar a explicação a respeito do assunto. Dica: Dar alguma retribuição para o catequizando que acertar (1 bala ou pirulito, Bis etc).

Fala sério = errado
com certeza = correto

Perguntas e respostas:

1 – Corpus Christi comemora-se no primeiro domingo após Pentecostes. – Fala sério, primeira quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade
2 – A Santíssima Trindade que comemoramos agora no próximo domingo é composta de três pessoas. – Com certeza, Pai, Filho e Espírito Santo
3 – Na multiplicação dos pães, João encontrou o menino ou rapaz que tinha 5 pães e 2 peixes (Jo 6, 8-10). – Fala sério, André
4 – Na segunda multiplicação dos pães o que sobrou tratou de mais 1000 pessoas (MT 15, 38). – Fala sério, 4000 pessoas
5 – Na primeira multiplicação dos pães, o que sobrou tratou de mais de 5000 pessoas (MT 14, 20-21). – Com certeza
6 – Quando comungamos passamos a ser sacrário vivo. – Com certeza, carregamos Cristo vivo em nosso coração
7 – A Eucaristia foi instituída, isto é, celebrada pela primeira vez, na Sexta-feira Santa. – Fala sério, Quinta-feira Santa, dia da Santa Ceia
8 – A palavra Eucaristia significa “sacrifício”. – Com certeza, significa “sacrifício de ação de graças”, do grego “Eukharistía”
9 – Cada vez que a comunidade realiza o gesto do pão e do vinho, ela faz Jesus presente, vivo e verdadeiro entre nós. – Com certeza
10 – A Igreja dedica 2 grandes festas ao sacramento da Eucaristia: Quinta-feira Santa e Corpus Christi. – Com certeza
11 – Participar da confecção dos tapetes é uma forma de mostrarmos que somos uma comunidade composta de irmãos que possuem dons iguais. – Fala sério, dons distintos, diferentes
12 – A festa de Corpus Christi tem 2 grandes momentos: a celebração da Santa Missa e a entrega das ofertas. – Fala Sério, o segundo momento é a Procissão sobre os tapetes
13 – Na festa do Corpo de Cristo, como filhos da Igreja, levamos Maria, presente na figura do pão, pelas ruas da nossa cidade. – Fala sério, levamos o próprio Cristo
14 – Para comungar devemos evitar comidas, bebidas, remédios e água até 1 hora antes da Comunhão. – Fala sério, remédios e água não têm necessidade de jejum
15 – Através do mandamento da Eucaristia, renovamos a vida, morte e ressurreição de JESUS, onde ele se oferece como alimento para nós, na Santa Missa. – Fala sério, sacramento da Eucaristia
16 – Nos gesto memorial (porque recorda a vida de Jesus) do pão e do vinho, somos convidados a amar até as últimas conseqüências, como JESUS nos amou, aceitando perder tudo e se entregando totalmente por causa do Amor. – Com certeza

Dinâmica para explicar a Santíssima Trindade

A Catequista acende três velas e as coloca uma ao lado da outra, num suporte.
Explica que a primeira representa o PAI, a segunda representa o FILHO e a terceira representa o ESPÍRITO SANTO.
O PAI é Deus nosso Criador
O FILHO é Jesus nosso Salvador
O ESPÍRITO SANTO é o nosso consolador
Explica que são três pessoas distintas, porém, um só Deus.
Com a ajuda de outra catequista una a chama das velas e as transforme em uma.
Peça aos catequizandos que digam o que entenderam sobre esta dinâmica.

SANTÍSSIMA TRINDADE- DINÂMICA DA CAIXINHA DE FÓSFOROS

 Só há um Deus, mas são três Pessoas. Com a dinâmica da caixinha de fósforos podemos entender melhor.
Tira-se um palito da caixinha e pede-se para que olhem bem para o fósforo.
- “Vou riscar este fósforo e vocês terão que ver quem chega primeiro: a luz, o calor ou o fogo, ok? Prestem bem atenção!”.
Risca-se o fósforo e espera um tempo para que os catequizandos se decidam qual dos três elementos chegou primeiro.
- “Agora explicarei quem chegou primeiro. Não foi a luz! Não foi o calor nem o fogo. Os três chegaram ao mesmo tempo. No momento em que risquei o fósforo surgiu uma chama. Essa chama tem três jeitos de ser: luz que ilumina (mando alguém apagar a luz e depois acendo outro fósforo), calor que aquece (encosto minha mão e digo que está quentinho) e fogo que transforma (queimo um pedaço de papel que se transforma em cinzas). Vocês estão vendo? É uma chama só, mas tem três propriedades. Assim é a Santíssima Trindade: um só Deus com três jeitos de se manifestar. Ele se manifesta como Pai, Criador de tudo. Como Filho, que vem a nós, que nasce da Mãe do Céu, que morre e ressuscita por nós e assim nos redime, nos salva. Ele é o Espírito Santo que nos queima por dentro, nos transforma e nos santifica”.

DINÂMICA- MEU CORPO É TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO

Participantes: Indefinido.

 

Tempo Estimado: 20 minutos.

 

Material: 2 folhas de papel para cada participante, canetas hidrocor, fita adesiva, cola e tesoura.

 

Descrição: Cada membro do grupo deve desenhar em uma folha de papel uma parte do corpo humano, sem que os outros saibam.
Após todos terem desenhado, pedir que tentem montar um boneco ( na certa não vão conseguir pois, Terão vários olhos e nenhuma boca… ). Em seguida, em outra folha de papel, pedir novamente que desenhem as partes do corpo humano (só que dessa vez em grupo) Eles devem se organizar, combinando qual parte cada um deve desenhar. Em seguida, após desenharem, devem montar o boneco.

 

Terminada a montagem, cada membro deve refletir e falar sobre como foi montar o boneco. Qual a importância de cada parte do corpo, conduzir um momento de oração agradecendo a Deus pelo membros do nosso corpo. Cada um pode rezar em voz alta agradecendo a parte do corpo que desenhou… por exemplo: Obrigado Jesus pela minha boca, pois com ela posso me comunicar…

 

Tem como objetivo levar as crianças a trabalharem em grupo, fazendo essa atividade valorizar o corpo que é templo do Espírito Santo.

Dinâmica: CONTANDO FATOS


Objetivo: Aprofundar o conhecimento sobre a vivência dos alunos sobre o assunto abordado na aula.
Material: Cesto ou saco com fotos e palavras que retratem a ascensão de Jesus: Desenho de Jesus com os discípulos, desenho de Jesus sendo ressuscitado, desenho de Jesus subindo aos Céus, desenho de anjos falando aos homens (representando a fala: Varões Galileus porque…) Palavras como: Ascensão, Voltarei, Trono, Pai, Galiléia, Confins da Terra, Monte das Oliveiras, e etc.
Ficha (papel) com um número para sorteio de quem vai narrar os fatos através das figuras e palavras.
Introdução: Explique para os alunos que dentre eles será sorteado um para contar e contextualizar figuras e palavras com a ascensão de Jesus, logo depois faça o sorteio.

Procedimento: Entregue ao aluno o cesto ou sacola e dê no máximo 2 minutos para ele contar a história da Ascensão de Jesus de acordo com cada figura ou palavra que ele retirar.
Ao final peça uma salva de palmas para o aluno e comente sobre seu desempenho fazendo elogios aos seus pontos positivos, e se ele tiver errado em algum ponto corrija sem constrangê-lo.
Por exemplo: Se Ele falar que a ressureição foi depois da ascensão, diga: Só teve um pequeno probleminha, a ascensão de Jesus foi o último dia de Jesus aqui na Terra até sua vinda, mas na hora do nervosismo às vezes até eu troco as ordens.

Fonte:http: //jardimdafe.blogspot.com.br

Quadro de orações

No ano passado a nossa catequista Jocelma teve a brilhante ideia de confeccionar para a nossa catequese esse quadro de orações

Toda a equipe achou a ideia muito boa, então cada catequista concecionou um para sua turminha.

Foi um sucesso. No encontro da semana seguinte, as crianças já tinham estudado outras orações e queriam mais selinhos para colocarem no seu nome.

Criança não é mole, as vezes precisa de um incentivo para estudar!

Vou explicar como funciona:

No quadro colocamos todos os nomes dos catequizandos e as orações dos cristãos.

As crianças que souberem  a oração recebe um selinho para colocar no quadro no lugar onde está o seu nome

Pode ser usado conforme o encontro a ser dado.

ex: Anjo da Guarda, Maria, oração do Pai Nosso, O Santo Terço etc;

É um quadro de pregas. Eu fiz 25 pregas, porque minha turma tinha 25 crianças, mas como os nomes e os selinhos podem ser retirados, você poderá usar em outros anos (esse eu dei uma reformadinha para usa-lo este ano)

Material que usei para este quadro:

- 4 folhas de papel manilha (3 folhas para fazer as pregas e 1 para forar as costas)

-4 durex coloridos

-1 folha de papel lamidado para a moldura e para os selinhos

-1 catolina branca para o nome dos catequizandos e o nome das orações

-1 catolina colorida para fazer os selinhos

- adesivos para enfeitar os selinhos

A frase de título do quadro está no catecismo 2599.

Queria muito compartilhar esse projeto da nossa catequese

.Use a sua criatividade e mande notícias se gostarem da ideia.

Fiquem com Deus.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.